Câncer colorretal: um inimigo silencioso.

O câncer colorretal (que afeta o  intestino grosso e reto) é um dos mais freqüentes no Brasil, estima-se que em 2018 sejam diagnosticados cerca de 36.360 novos casos. Esses tumores surgem porque algumas células do intestino começam a se desenvolver de forma desordenada. Essa transformação celular é lenta e silenciosa, ou seja, praticamente não causa sintomas. Quando detectados precocemente os tumores podem ser facilmente retirados através de colonoscopia.

Se os tumores são silenciosos como desconfiar da presença deles?

Alguns sinais de alerta devem ser observados: dor abdominal, mudança do hábito intestinal (diarréia ou intestino preso), sensação de que não consegue “esvaziar o intestino” e sangramento retal. Sintomas inespecíficos também podem estar relacionados com câncer colorretal: emagrecimento, cansaço, anemia sem causa definida, etc. A partir de 50 anos todos devem realizar colonoscopia para rastreamento do câncer colorretal, pacientes mais jovens com fatores de risco ou sinais de alerta também devem ser investigados. A colonoscopia é um exame de endoscopia do intestino grosso onde um pequeno aparelho flexível com câmera é introduzido através do reto e permite detectar e tratar grande parte dos pólipos que poderiam transformar-se em tumores. O diagnóstico precoce é fundamental e impacta diretamente no tempo de tratamento e qualidade de vida do paciente. Quando o tratamento por colonoscopia não é mais possível realiza-se quimioterapia, cirurgia para retirada de parte do órgão e eventualmente radioterapia nos tumores de reto. Quando a doença produz metástases (espalha-se para outros órgãos) a chance de sucesso no tratamento diminui Hábitos de vida inadequados estão entre as principais causas de desenvolvimento dos tumores de intestino: dieta pobre em fibras e rica em gorduras e carne vermelha, sedentarismo, abuso de álcool, tabagismo e obesidade. História familiar de câncer de intestino (pais, irmãos ou filhos) com tumor, mulheres que já tiveram tumor de ovário, útero ou mama também aumentam o risco da doença.

Fique alerta! Lembre-se de que a doença apresenta maior chance de cura quando diagnosticada precocemente. Observe os sinais do seu organismo, converse com seu médico para orientá-lo em relação ao início e periodicidade do rastreamento de câncer colorretal.

Open chat
Powered by